“A mão que embala o berço é a que governa o mundo.”
Disse Zulmira Braga, em frase memorável,
Essa verdade pura, e mesmo insofismável,
Ao ver a doce mãe, num afagar jucundo,

Balançando seu filho num gesto amorável,
Com aquele sentimento que busca bem fundo,
O que melhor existe nesse amor fecundo,
Que só de mãe emana, em jorro insaciável.

Deseja vê-lo homem, um nobre cidadão,
Para termos um dia uma melhor nação,
Onde o amor impere e a justiça flua.

Deseja a igualdade, pois tem esperança,
De ver muito felizes todas as crianças,
Sem que haja mais famintos dormindo nas ruas!

Anúncios