Deus não se pode explicar!
E quando alguém insistiu
Em saber sobre Seus pais,
Se tinha irmão, tinha tio
E outros parentes que tais;
Se tinha algum domícílio,
Ou lugar determinado,
Onde estivesse hospedado
Para nos prestar auxílio,
Ouviu a simples resposta
Que até o desagradou…
Quis saber por que o Senhor
Permite haver sofrimento
O que sempre nos desgosta!
E os Mensageiros disseram,
Basta saber que Ele existe,
Não sejas inoportuno,
Ele é perfeito, é uno,
Nisso Sua origem consiste.
Existia antes do nada,
Não dependeu de ter pais
Como todos os demais.
A boa mãe Natureza,
Um produto de sua obra,
Dá amor, até de sobra,
Para o homem invigilante,
Que em quase tudo inconstante,
Vive implorando ao seu Deus
Que faça os trabalhos seus,
Que lhe tire, e pede em vão,
Toda dor, toda aflição,
Que as criou e precisa
Passar por elas, vencer,
Este é o destino do ser…
Isto é Deus quem avisa:
-Sou o Teu Pai que te ama,
Nos sete dias da semana,
Vinte e quatro horas por dia,
Nos trinta dias do mês,
Nos doze meses do ano,
Apesar da insensatez,
Porque os séculos rolaram
E milênios se embolaram,
E eu sigo te dando amor…
-Sou o Teu Pai, teu amigo,
Que eternamente é contigo,
Não te julgues sofredor!
Nada mais tens a saber!
Sejas, por isso, contente,
Esforça-te pra crescer,
Tem fé, sem esmorecer,
Que Eu sempre estarei presente!…

Do livro “Luz no Túnel” – 1998

Anúncios