Sou fruto do meu passado,
Carrego n’ alma os pecados
Dos tempos que fui criança.
Em meu ser vou me somando,
Crescendo,  me acumulando,
Como herdeiro e como herança!

 Não digo só do menino,
Quando era pequenino
Ainda cheio de esperança,
Pois já fui rei, fui mendigo,
Em outros tempos antigos,
Como herdeiro e como herança!

Que trago conhecimentos,
Que não são grandes talentos,
Mas fiz parte da aliança.
Junto a Moisés, fiz o pacto,
Tudo aprendi, é um fato,
Como herdeiro e como herança!

 

  Vou destemido na vida,
Dou e recebo guarida …
São os pratos da balança:
O do bem é o do mal,
O do erro e o da moral,
Como herdeiro e como herança!

 

Recordo o sermão do monte,
Eu bebi daquela fonte
Toda bem-aventurança,
Lembro o que ensinou Jesus,
“Brilhe sempre a vossa luz”,
Como herdeiro e como herança!

Agora já mais sabido,
Mais humilde, evoluído,
Compreendo essa cobrança,
Luto para ser um homem,
Que só de amor sente fome,
Como herdeiro e como herança!


Nos arraiais do planeta,
A coisa ficou bem preta,
E a humanidade já “dança”.
Como já estou meio velho,
Me pego no Evangelho,
Como herdeiro e como herança!

Para ter direito a ir
Para o céu, vou prevenir
E dar carta de fiança.
Vou fazer o bem constante,
Só assim caminho adiante,
Como herdeiro e como herança!
 

Não está claro na retina,
Nem conheço a minha sina,
É confusa esta lembrança.
Mas sei que sou milenar
E um dia a Deus vou chegar,
Como herdeiro e como herança!

Já não tenho ódio em mim
E posso viver por fim
Sem desejos de vingança.
Já progredi um pouquinho,
Pois cresço devagarinho,
Como herdeiro e como herança!


O progresso é muito lento,
O tempo vai como o vento,
Por isso é pouca a mudança.
Mas em algo já mudei,
Não erro mais como errei,
Como herdeiro e como herança!

 
Aprendi com nosso Mestre,
Nas suas andanças silvestres,
Que de Deus sou semelhança.
Pois sou seu filho querido,
Nunca serei esquecido,
Como herdeiro e como herança!

Do Livro “O Grande Mar” – 2002

 

Anúncios