Feito uma cobra te enrolaste em mim
E deslizavas fazendo um passeio.
Ao esfregar-te eu senti teu seio.
Tu a Colombina; eu o Arlequim.

Em doce enlevo embeveci-me e, assim,
Sempre calado, sem nenhum receio,
Me comprazia realizando o anseio
De velho sonho que eu vivia, enfim.

Era o calor mais quente, que quentura !
A labareda de paixão mais pura,
Que desisti de me apartar de ti.

Simbionticamente ali grudados,
Ficamos longamente entrelaçados;
Parou o mundo! Eternizei-me ali…

Anúncios