Prosa poética (em decassílabos heróicos)

O dia de amanhã não foi escrito; é uma página ainda a ser preenchida, onde pode escrever o homem aflito ou quem vê só beleza nesta vida…

Você pode escrever, nessa alva folha, mil recados de amor e de esperança e optar se for sábio nessa escolha, por viver os seus sonhos de criança.

O dia de amanhã não tem um dono; tanto pode ele ser do milionário, como ser de um menino, no abandono, que vive pelas ruas solitário.

O dia de amanhã ainda é futuro, mas em pouco será mais um presente e se você tratá-lo com apuro, será lembrança boa e permanente.

Um dia o amanhã será passado e irá levar com ele o seu destino, vendo o tempo que corre, acelerado, como o velho que um dia foi menino. Todo passado um dia foi futuro, foi presente, mas hoje está na história. E morre assim o tempo, simplesmente; é lembrança guardada na memória.

Anúncios