O mundo está inundado,
Vamos morrer afogados
Com tanta corrupção,
Mas eu vou me encher de fé
E fazer, como Noé,
A Arca da Salvação.

Ela vai servir de abrigo
E penso levar comigo
Pessoas de todo jeito;
Um casal pra cada hora,
Que vou mencionar agora,
Espero fique perfeito.

Vão dois que façam do riso
Uma constante, é preciso
Descontrair, ser feliz.
Às vezes é conveniente
Sorrir, irracionalmente,
Das coisas que o povo diz.

Um casal inteligente,
Que saiba viver contente
Sem ter afetada luz,
De muita sabedoria,
Mas que viva o dia-a-dia
Do jeito que fez Jesus.

Outro bem equilibrado,
Com refino, bem formado,
Que possa servir de exemplo
Para os demais que ali estão,
Pra que aprendam a lição
Como se ali fora um templo.

Desejo um casal de atletas
E também um de poetas
Para levar o louvor
Aos casais que ali estão,
Lutando, quase que em vão
Por gestos de paz e amor.

Quero um par com instrumentos,
Que acompanhe o som dos ventos
Na melodia da vida,
Enquanto a arca navega
E toda gente carrega,
Cantando na despedida.

Quero um casal que organize
E selecione, precise,
A parte de cada um.
Quero também cozinheiros
E também dois marceneiros
Para o serviço comum.

Sei que logo há de chegar
Quem irá se apresentar
Pra ser gerente da arca,
Com um grupo de auxiliares,
De civis e militares,
Pra intervir na minha barca.

Eles vão querer mandar
E os outros vão trabalhar
Pra sustentar os espertos.
Vão fazer uma eleição,
Partidos se criarão
E hão de brigar, por certo.

Não sei se será vantagem
Organizar a viagem
Pra salvar alguns coitados!
Tenho a impressão que depois
Minha esposa e eu, os dois,
Vamos ser muito explorados.

Todos vão fiscalizá-la
E vou ter de penhorá-la
Para pagar os impostos
Vão pedir nota fiscal
Para cada material
Que nela usei; eu aposto!

Serei um inadimplente
Vão pôr, imediatamente,
Minha arca no leilão
Não sabem que se eu afundo
Abandonado no mundo,
Vai junto a tripulação.

Melhor esquecer o sonho
Coisa de tipo bisonho,
Sem comparar-me a Noé.
Ele soube ter capricho,
Pois salvou somente bicho,
Não quis homem, nem mulher.

Mesmo assim a sua arca
Virou uma grande fuzarca
Até espatifar-se um dia.
Não quero meu Ararat,
Melhor deixar como está
E esquecer a fantasia.

Anúncios