Jamais eu vi uma árvore indagar
Sobre a vida de quem, sob a sua fronde,
Desfruta seu frescor sem dizer de onde
E nem como chegou a esse lugar.

Só colabora para o melhor ar
E a sombra fresca que o silêncio esconde;
Ela oferece e nunca indaga aonde
O peregrino irá depois pousar.

Este é um exemplo de desprendimento
Que deseja servir todo momento
Como os que sabem ser reais amigos!

Alimenta-se das próprias raízes
Que a trabalhar são sempre bem felizes,
Por dar igual aos nobres e aos mendigos…

Anúncios