Onde pus minha pele aveludada
Dos tempos das escolas, de menino,
Quando era indefinido o meu destino
E ainda eu não pensava em quase nada?

Divertindo-me em meio à criançada,
Jamais  me preocupava o desatino;
A alegria da vida era o meu hino,
Com a bandeira do riso desfraldada…

Mas o tempo me fez ficar adulto;
Junto a isso me trouxe muito insulto
Registrando na pele os meus roteiros;

Com as rugas da face em meu retrato,
Eu só espero um futuro mais pacato
Pra viver no sorriso dos outeiros!…

Anúncios