O poeta sopra um verso ao meu ouvido
De um tipo que eu jamais tinha composto;
Estrofes que eu não tinha percebido,
Mas que, agora, ao lê-las dão-me gosto,
Pois foi bom que soprasse ao meu ouvido!…

É curioso que idéias cheguem feitas
E sem serem iguais às que componho,
Porém, bem mais que as minhas, são perfeitas
Pois nunca as tive eu, nem mesmo em sonho,
E é curioso que cheguem tão bem feitas!…

Será que é transmissão de pensamento
Ou vem na tal da psicografia,
Quando o espírito chega, e num momento,
Grafa por nós na sua caligrafia
E não é transmissão de pensamento?…

Seja lá como for, é bem bonito
E eu desejo, portanto, agradecer
A quem se transportou desde o infinito
E deu-me este presente, oh nobre ser!
Porque ele é realmente bem bonito!…

A mim me cabe agora divulgá-lo
Levá-lo até os parceiros, os amantes
Da poesia, para que sintam o halo
Do poema e, como eu, fiquem radiantes,
Porque me cabe agora divulgá-lo!…

Anúncios