Pegue um pouco de céu, mesmo nublado,
E também os eflúvios de um luar,
Refletidos na água, sobre o mar,
Que põem nela um caminho cintilado!…

Olhe agora um coqueiro carregado
De néctar que dá pra se tomar,
Tendo as folhas, ao léu, a balançar,
Orlando a beira-mar, despreocupado…

Depois disso, recorde algum despeito,
Que ainda deixa dores no seu peito,
E terá facilmente neste dia

Conseguido juntar matérias primas
Que haverão de compor bonitas rimas;
Essa é a minha receita de poesia.

Anúncios