Não quero valer só pelos cifrões
Que eu possa ter juntado nesta vida.
Pretendo ter o amor dos corações
Que possam sempre amar-me e dar guarida…

Vivemos numa luta empedernida,
Onde os homens vomitam qual vulcões
As agruras que guardam escondidas
No fundo do seu ser entre aguilhões!

Um dia, vim ao mundo nu e descalço…
Foi duro dar os meus primeiros passos,
Em um lar onde havia muita dor…

Vi as lutas dos pais pra ser honestos    
E até para viver ganhamos restos,
Mas nunca nos faltou sobras de amor!

Anúncios