Para o homem viver é necessário
Que ele seja otimista e lutador,
Mas que faça do corpo o seu sacrário,
Tratando-o com respeito e terno amor.

Esse templo que às vezes sente dor
É um abrigo da alma, um vestuário,
Que tanto pode ser um lar do horror,
Como ser um sagrado relicário.

No mundo material, sempre confuso,
O egoísmo nos chega como intruso,
E impede-nos de ser alguém divino;

Mas quem sabe que a alma é imortal,
Será sempre feliz, sempre jovial,
Preparando na Terra o seu destino!

Anúncios