Sonhei que cheguei no além
E havia uma fila longa
E eu roguei, sem mais delonga,
Pra poder entrar também…

Dois jovens havia à frente,
Mas logo após vi duas freiras
Que nas posições primeiras
Foram postas de repente.

Reclamei, não achei justo,
Dar a elas privilégio,
Pois o tribunal egrégio
Parecia pouco augusto!

Falei com o responsável
Que aquilo era uma injustiça
E, com base na premissa,
Reclamei ao venerável!

Afinal os dois rapazes
Chegaram antes ali;
Eu garanto, pois os vi,
E eram bem perspicazes!…

Chamando-me, o encarregado,
Explicou-me a situação:
Fizera essa alteração
Levando em conta o pecado!

As irmãs ali chegadas
Demandavam atendimento
Naquele exato momento,
Pois eram necessitadas.

Os rapazes, ao contrário,
Estavam em paz com Deus;
Mesmo parecendo ateus
Foram cristãos, sem sacrário.

Entendi e vi com isso
Que em vez de igreja e oração
Sempre é mais feliz, então,
Quem atende ao compromisso!…

Essa história que relato
Foi assunto de um meu sonho,
Mas o poema componho
Como registro de fato.

Anúncios