You are currently browsing the daily archive for segunda-feira, 19 outubro, 2009.

É tudo um vir a ser. Nada é constante,                                  tempo
Porque o que é agora já não mais
Será depois que passa um breve instante,
Uma quimera que se foi. Jamais

Vai repetir-se, mesmo lá distante,
Porque há uma lei que tudo leva e traz
Modificando, quer pouco ou bastante,
O destino do homem que aqui jaz. 

Viva este instante breve enquanto é tempo,
Porque em segundos nasce um outro intento
De Deus, o Pai, em relação a nós,

Que só pretende que seus filhos amem,
E que uns aos outros só de irmãos se chamem
Para que nunca Ele nos deixe sós!…

Hoje te olho e me pareces tanto
Com alguém jovial, pois tens algo que encanta…
Mas quando te deparo aflita em pranto,
Perdes toda a doçura que acalanta.

A vida é tão bonita e o homem planta
Uma felicidade em cada canto,
Mas quando o véu da usura se levanta
Tudo se desmorona, perde o encanto!…                          fumaça

O momento é volúvel qual fumaça                                  
E como o arco íris perde a graça
Quando some e nos deixa só lembrança…

Por isso é que na vida, geralmente,
Os sonhos se derretem de repente,
Como os sonhos que sonham de esperança!

A imagem acima é um risco para pintura em óleo sobre tela, de Leonardo da Vinci.
Boletim Informativo "Tribuna Literária"
outubro 2009
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Leituras

  • 60.562 poetas

Entre com seu email para assinar este blog e receber notificações de novos artigos postados.

Junte-se a 31 outros seguidores