Astênio César Fernandes – poeta oftalmologista – PB

Exalto-te, poeta, enternecido,
Porque em ti a musa canta, inflama,
Soltando versos, construindo o drama
Da vida, tocando ao meu ouvido.

O mundo precisa desse encanto
Onde o poeta descortina a luz,
Com alma exposta vem e nos seduz,
De Deus podendo descobrir o manto.

Quero saudar, assim, tua poesia!
De musicalidade e melodia,
Tecendo o labirinto rendilhado…

Ouvir, compartilhar tua sonata,
Construída a partir dessa cascata
De versos, artesãos desse bordado!

Anúncios