Pelo repentista pernambucano Otacílio Batista

Tenho onze filhos somente
De uma feliz união;
Vivem dez e um anjo canta
Lá na celeste mansão…
A viola é o meu salário,
Deus divino é o meu patrão.

Amo o norte sofredor,
Mas em São Paulo eu senti
Poesia no Rio Tietê
E no Tamanduateí;
Parece que o repentista
Quis também nascer aqui.

Eu venho lá do nordeste,
Onde as negras fazem rendas,
Trazendo o cheiro do mel
E a voz rouca das moendas,
Do velho engenho de pau
Das mais distantes fazendas.

Em São Paulo eu encontrei
Ordem, trabalho e justiça.
O homem não perde tempo,
Só se for ouvindo missa;
Só não vence nesta terra
Quem foi feito de preguiça.

Comecei com dezessete
Anos de vida na terra,
Cantando a lua e o sol,
Rio, monte, vale e serra
E nestes versos que eu faço
Em nome de quem me cria,
Mando a São Paulo um abraço
Nas asas da poesia.

Anúncios