J.G. de Araújo Jorge

“Foste sincera em revelar, querida,
Que não me queres mais. Muito obrigado …
Já não serás, por mim, mais iludida.
Já não serei, por ti, mais enganado.

Eu também já vivia amargurado
De suportar essa paixão fingida,
Sabendo que eu não era mais teu amado
E que tu não me eras mais a preferida.

Hoje, quebrando os derradeiros elos
Que te traziam presa aos meus desejos,
Que me traziam preso aos teus anelos,

Troquemos, sem tristeza, o último adeus:
Tu, sem saudade alguma dos meus beijos;
Eu, sem pensar sequer nos beijos teus …”

Em “Poeta da Praça” (edição esgotada).

Anúncios