Oh! triste humanidade pecadora,
Na qual ninguém desfruta um privilégio,
Sofre o pobre e também sofre o egrégio,
Nesta luta de vida sofredora!

Não adianta abusar de sortilégio,
Se ninguém escutou a Manjedoura
Falar-nos, com sua voz imorredoura,
Censurando as ações de sacrilégio.

Amem-se muito, foi a advertência
Que ressoa até agora na consciência,
Enquanto o Apocalipse se instala…

Contra o mal nada o homem oferece,
Daí porque o conflito sempre cresce;
Na defesa do bem, sempre se cala!…

Anúncios