Hoje quando acordei me decidi:
Vou fazer um poema bem bonito,
Buscado nas entranhas do infinito,
De cenas que num sonho conheci.

Eu pude ver imagens que não vi
Com meu olhar carnal sempre restrito,
Que me impede de ver o que é um mito
Para os homens, mas que eu sempre entendi.

Este sopro divino vem do céu,
Num silêncio com ecos de escarcéu
Até chegar à minha inteligência…

Depois que eu retiver esta verdade
Saberei muito mais da realidade,
Para ter nesta vida, mais coerência!

Anúncios