No caleidoscópio das idéias, vejo prismas decompondo-se em largos pensamentos, embriões de novas descobertas. Não são pensamentos já pensados, mas revelações que o mundo ainda não conhece porque não fazem parte das idéias do cotidiano…São raros, como são raros os que os percebem; mas existem!

Segredos que o ar abriga, o silêncio guarda escondido e a ignorância não percebe; são pensamentos que moram no íntimo da eternidade, só revelados aos eleitos que assim se qualificam por romper com o elementar e buscar a transcendência das revelações.

São o sui generis do ser que ainda não é, mas alimenta a esperança de sair do chão e descolar-se do ínfimo para voar na direção do ideal.

É preciso ter virgem o segredo de viver e preservar a castidade da vaidade, manter impotente o egoísmo e insistir na frigidez do orgulho e da pretensão.

Pense sem ver o fim da massa cerebral, porque ela é interminável, e alimente-se do equilíbrio. A massa é o veículo, mas as idéias moram na alma, não nela… Ela apenas as revela. Moram na alma do ser e na alma do mundo; na alma da terra e na alma do céu. Descubra-as! Elas são o segredo da libertação e da felicidade, que o homem busca, mas ainda não sabe o que é.

Nunca pense somente o que o mundo já pensou, porque se assim fizer você caminhará em círculos, voltando sempre ao ponto de partida. Pense coisas novas, tente, ouse e jamais ficará arrependido. Por não fazer isso é que os homens erram, os governos empacam e as famílias deterioram. Os conceitos humanos comuns já não servem para este mundo, porque ele caminha e não espera pelos acomodados. A mesmice do modismo, dos valores, do preconceito, dos assuntos triviais que nos conferem status que aparentemente nos destacam, estão ultrapassados e mortos. Há coisas novas pairando à nossa volta e é preciso ter acesso a elas, rompendo as amarras da cadeia que nos grudam à mediocridade.

Escreva um texto que não seja o óbvio; faça um poema que não seja soneto; rime nada com tudo e verá como soará bonito; pare de ver novelas e escreva sobre a sua própria vida, porque as que ai estão são medíocres e sempre iguais. Talvez a sua história seja mais bonita e você nem percebeu.

Não tenha medo; o mundo é dos corajosos! Vai; segue; boa sorte!

Publicado no Jornal Correio da Paraíba em 30/04/2011 

           

Anúncios