Eu te olhei, tu me olhaste, nos olhamos…
Eu sorri, tu sorriste, nós sorrimos…
Nem posso imaginar o que sentimos
Nessa hora em que nós nos entreolhamos!

Só sei que ambos, silentes, nos calamos
E foi sem falar nada que saímos;
Porque dessa mirada nós fugimos
E quase em repulsão nos afastamos!

Ante a frugalidade de desejo,
Que sequer provocou um leve arpejo,
Nos fomos sem lembrar-nos do ocorrido…

Agora, ao recordar vagos instantes,
Vejo que hoje estamos tão distantes
Como se nada houvera acontecido.

 

 

Anúncios