O meu futuro é o hoje,
O meu presente é o agora,
Pois, quem sabe, em uma hora
Do meu corpo eu me despoje!

Caso Deus me desaloje
E eu tenha de ir embora,
Esqueço o que fui outrora,
Por mais que lute e me arroje.

Hoje aos meus setenta e oito,
Por mais que eu me sinta afoito,
Tenho mil limitações.

E mesmo que eu me disfarce,
Tudo é claro em minha face
Aos olhos das multidões.

Anúncios