Não consigo voar como uma garça,
Flutuando num bailado pelo espaço,
Nem caço como um tigre, dentes de aço,
No doido corre-corre em plena sarça!

Não pretendo enganá-los numa farsa,
Pois só virtudes novas hoje caço,
E mesmo nessas poucas me embaraço,
Enquanto rimo os versos, meu comparsa!…

Mesmo sendo parente de animal,
Como tenho o apelido “racional”,
Procuro me manter de alma serena…

Preciso superar a deficiência
E viver minha vida com coerência,
Para, então, lhes dizer: – valeu a pena!

Anúncios