Olhando-me, com seus seios a pino,
Confesso que é difícil controlar-me…
Não sei se só faz isso como charme,
Ou quer embaralhar todo o meu tino!

Será que só me tem como um menino,
Do tipo inofensivo e, sem notar-me,
Não vê que está com isso a provocar-me,
Trazendo-me ilusão? Que desatino!

Eu sei que a minha idade a autoriza
A julgar que já sou inofensivo
E alguém que de um amor não mais precisa…

Mas digo-lhe que amor não tem idade
E ainda que eu não tenha um atrativo,
Eu tenho um coração que é de verdade!

Anúncios