Já posso, por ser hoje muito idoso,
Falhar de vez em quando, sem vergonha;
O que antes era uma coisa medonha,
Já não me deixe agora tão culposo…

Apesar de sentir-me inda orgulhoso,
Embora nada queira com a cegonha,
Também não é assim toda tristonha
Esta vida de velho afortunoso!

Concentro-me, também, noutros valores
Capazes de causar muitos tremores
E me fazer ser boa companhia…

Platonismo e suas manifestações,
Causam também frisson nos corações
E podem dar prazer no dia a dia…

Anúncios