You are currently browsing the monthly archive for agosto 2013.

De repente – 2003

A culpa não é minha, não é tua
A culpa é do sol, talvez da lua,
Que pôs no teu semblante um brilho intenso,
Um perfume de luz de sol poente,
De uma chuva que escorre, invade a mente,
E que deixa no ar cheiro de incenso.

A culpa é desse olho que arrebata
Que fere muito mais que uma chibata
Como ponta de lança em desafio,
Que provoca, em relance, um treme-treme,
Fazendo qualquer um perder seu leme
E sentir, na doidice, um calafrio.

A culpa é dessa boca que se enfeita
Que uma bala rumina, enquanto espreita
Do que quer, do que ouve e do que sente,
Para depois fazer demonstrações
Que não tem senso, são fulgurações
Que escapam dessa boca, de repente.

A culpa é desse porte louco e altivo,
Que expele pelos poros o abrasivo,
Que fere o coração, ao aplainá-lo,
Porque ele ao saltar dentro do peito,
Quer controlar-se e vê que não há jeito,
Já não domina mais seus intervalos.

Mas a culpa maior de eu não ter calma,
Não controlar as ânsias da minh’alma,
Deve-se, sim, a uma sutil carência,
Que faz com que se perca até o domínio,
Que acaba nos levando ao extermínio
Dos sentidos, por falta de coerência.

Uma nova poetisa está na praça,
Inspirada que foi pelo seu primo,
Que sou eu, e por isso então me animo
A ajuda-la, pois faz tudo com raça!

Dou-lhe estimulo para que ela faça
Poemas que são verdadeiros mimos
Que ela vai buscar lá no seu imo
De onde os tira e nos traz cheios de graça!

Produz trovas e até compõe sonetos,
Harmoniosos, qual banda de coretos,
E tudo isto ela faz mantendo aprumo…

Faz poemas que cantam seus amores,
Pinta a vida em múltiplos colores…
Seu nome? Silvana Silva Caúmo!

Silvana Silva Caumo

Você está exagerando,
Chamando-me de poetisa,
Mas faço muita pesquisa,
Por estar só começando.

Por isso estou me esforçando
Buscando o que rima em “IZA”.
Ou você se aterroriza,
Com tudo que vou rimando.

Obrigada pela ajuda,
Por que como não sou muda
Pra você vou perguntando.

Já que é um Mestre nisso,
Mesmo tendo compromisso,
Vai com carinho ensinando.

 

A imagem acima é um risco para pintura em óleo sobre tela, de Leonardo da Vinci.
Boletim Informativo "Tribuna Literária"
agosto 2013
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Leituras

  • 60.874 poetas

Entre com seu email para assinar este blog e receber notificações de novos artigos postados.

Junte-se a 31 outros seguidores