Vou fazer uma pergunta
Que me veio de repente:
De onde teriam surgido
Tantos tipos de semente,
Com tamanha variedade
De planta, de bicho e gente?…

Quem aqui teria plantado o
Primeiro pé de feijão,
O primeiro grão de arroz
Como apareceu no chão,
E quem ensinou o homem
A produzir o seu pão?

E o alho e a cebola
A acerola e o agrião?
E no mar, quem teria posto,
Tanto peixe e camarão,
Mariscos tão diferentes
Pra nossa alimentação?

Depois de tudo inventado,
Quem ensinou preparar?
Devia ser comido cru
Ou depois de temperar
Tinha de ir para o fogo
Pra ser cozido ou assar?

Para aqui vieram cavalos
E também bois e carneiros,
Cachorros, gatos e coelhos
E galinhas nos terreiros,
Ciscando e pondo seus ovos
Que se vê no mundo inteiro…

Os papagaios falantes,
Passarinhos nos quintais
Os bem-te-vis e as rolinhas
Pintassilgos e pardais
Sem falar nos dinossauros
Que já não existem mais.

E as frutas, que variedade!
A acerola e o caqui,
O jambo, marolo e manga,
Fruta pão e abacaxi
Além de pera e maçã
A pitomba e o sapoti.

E os homens que aqui chegaram,
Em raças tão diferentes
De onde é que teria vindo
Para cá toda essa gente
Com costumes e desejos
E alguns tão inteligentes?

Vou parar de perguntar
Pois o verso está comprido
Mas eu quero lhes dizer
Que não estou convencido
Que isso tudo é por acaso,
Um fortuito acontecido.

Enchamo-nos de esperança
E cultivemos a fé,
Mantendo a dignidade
Ficando firmes, até
Que ao chegar os dias de glória
Possam encontrar-nos de pé.

Creio que foi programado
Por um poder Superior
Que organiza nossa vida
E chamamos Criador
O mesmo que mandou à Terra
Cristo, o Nosso Salvador!

Nada aqui é inventado;
Tudo é apenas descoberto
E quando nós merecemos,
Na vida, tudo dá certo
É só se manter honesto
Que Jesus fica por perto!

Anúncios