Brincando com o idioma!

Salve seu Silva… 2008
Serrano-SP 

Senhoras, senhores! Salve seu Silva, Ser Superior, Sumo Sacerdote, Sua Senhoria! Sempre sobrevoando, sonhando, sorrindo, solfejando, sibilando!…

Sinceramente, senhores, silogismo ser salvador sem sê-lo; só superstição, sem se sentir seguro sobre seus sentidos!

Sabedoria sem soberania, sem sentimento, seguramente será só suposição, subterfúgio. Saber, sendo somente sigla selada, sinistra, será seresta sem seresteiro, sonata sem sonhador, sagrado sem santidade, salada sem sal, sem sabor.

Sem ser seguros, só sofreremos; sambaremos sem sacolejar, soluçaremos sendo sedentos seminus. Sátiras sem sentido significam somente simulações secretas sem soluções seguras, sensatas, sóbrias, soberbas!…

Salve senhor Silva! Segundo seus sentidos, sufoca sua sociedade simulada, sepultada, sem saída…

Se soubesse salvar seus súditos, seria sábio; sofrível, só sabe salvar-se; sabedoria sem sabença. Sabidos sem sentimento, sempre sabotam seus servos. Sacana, sobrevive sem sensibilidade social, satisfazendo somente seus sofismas. Sacrifícios supérfluos, sem sentido, serão simples sacrilégios!… Suntuosos sacripantas!…

Sem ser sábio, sugiro sejam separadas sociedade, saciedade; safadeza, solução; segurança, safanão; saúva, salvação.

Sintam-se sem saída, senhores sufocados sofredores!…

Seja sensível, Seu Silva, senão seu sucesso será sem sê-lo; será sem sapiência. Salvem-se, salvem-se, senilizados senhores, sitiados sertanejos! Sensatez! Sintam-se seguros sem sentar sobre seu sofrimento. Se seu salário sumiu, se sua sede sufoca, se sequestraram sua sacola, suas substâncias, se sua seiva secou, sermão salvador simulando sucesso, será sem sentido!

Salvem-se, senhores; se suportarem sobreviver!

 

 

 

 

Anúncios