No limiar dos meus oitenta anos,
Volto ao passado e analiso a vida;
Nunca esperei eu tê-la tão comprida
Para ter tempo de fazer mil planos…

Tive alegrias, tive desenganos,
Mas, eu garanto, ela foi bem vivida
Porque aprendi e, antes da despedida,
Peço desculpas por atos profanos!

Fui contador e depois empresário,
Embora fosse um filho de operário,
Porém jamais cultuei o egoísmo…

Enquanto busco ter toda a humildade,
Hoje agradeço e faço a caridade,
O que aprendi estudando o ESPIRITISMO!

 

 

Anúncios