Rogaciano Bezerra Leite – Pernambuco

Um poeta que rodou o mundo. Radialista, jornalista, bacharel em letras pela Universidade do Ceará,  diplomata. Nascido em 1/7/1920, em Itapetim-PE, a terra dos poetas. Faleceu em 7 de outubro de 1969, no Hospital Souza Aguiar, no Rio de Janeiro e está sepultado no Cemitério São João Batista.

Em 1968 foi à Franca e diferentes países da Europa, passando pela União Soviética deixando seu longo poema “Os trabalhadores” reproduzido em monumento na praça central de Moscou. Segundo Paulo Cardoso, já traduzido para vinte e seis idiomas. Recitou para presidentes e governadores. Sua principal obra é o livro Carne e Alma.

Abaixo, um de seus belos sonetos:

Súplica – À Mazé

Ave que pousas junto a mim, cantando
Da alva ao romper e ao declinar do dia,
Não me agrades com tanta melodia
Antes de ires ao porto em que te mando.

Não errarás por certo acompanhando
Meus pesares na longa travessia
Te servirão de alento, amparo e guia;
Repousa onde eles forem repousando.

Entrega-lhe esta carta e se orvalhada
Chegar-lhe às mãos conforme te entreguei
E ela indagar-te como foi molhada,

Beija-lhe a boca e dize-lhe “não sei”…
E por mais que ela insista, ave adorada,
Não lhe confesse nunca que eu chorei

Paranaíba – PI – 19/2/1947.

Anúncios