Lembrei-me de um amigo e fiz este soneto.
A maior ingratidão é a que cometem os filhos contra seus pais. Mesmo que nada mais lhe devam, devem-lhes a bênção da vida. Desprezá-los ou abandoná-los é um ato vil. Por menos que façam por merecer, isso nunca se justifica! Santo Agostinho explica no capítulo XIV, item 9, de O Evangelho Segundo o Espiritismo.

BOM DOMINGO

AMOR DE VERDADE – 18/06/2017
Octávio Caúmo Serrano

Chego até a emocionar-me quando vejo
A mãe e o filho muito enamorados;
Ela velhinha e, cheio de cuidados,
Ele, a abraçá-la, lhe oferece um beijo!

Durante o almoço, às vezes, tenho o ensejo
De ver, o que nos deixa emocionados,
Os velhos pelos filhos amparados,
Porque vê-los felizes é o desejo!

Esse gesto é de amor e de lembrança,
Dos tempos em que nós somos criança
Precisando de alguém que nos afague…

Voltando ao tempo em que era o seu filhinho,
Agora retribui todo o  carinho,
Dizendo-lhe, em silêncio: DEUS LHE PAGUE!

 

Anúncios