27/5/2017
Octávio Caumo Serrano

Quem pensa que é eleito pelo povo
Para, logo em seguida, descartá-lo,
Logo há de cair do seu cavalo
Para ser depois frito como um ovo…

E quem quiser fazer tudo de novo,
Pensando que Deus há de suportá-lo,
Não tem da luz do Pai sequer um halo,
Porque vai ser expulso como estorvo.

É Deus quem põe o homem no poder
E lá só fica enquanto merecer,
Pois desligá-lo é a coisa mais comum…

A história guarda fatos registrados
De homens que depois de consagrados,
Sumiram sem deixar sinal nenhum!

Calma meu povo! Está tudo sob controle!
O homem só dá seu voto na urna. Quem elege é Deus. E quando dá oportunidade a quem não sabe usar, Ele tira do cenário. Quantos ganham, mas não levam. Quantos desaparecem na imensidão da natureza e nem um simples ataúde passam a merecer, para que não sejam adorados em santuários indevidos. Posam de íntegros e são desonestos, camuflando seus erros e criticando falhas alheias. Nunca ouviram o que disse Jesus: – Quem estiver sem pecado, que atire a primeira pedra.
Alguns são nomes de praças, ruas ou cidades e outros têm estátuas suntuosas, mas nem valem o pedestal. Se pudéssemos ver o estado de suas almas, corroendo-se em remorsos no Além, teríamos piedade deles. Aqui são chamados heróis, mas no plano da verdade não passam de pobres mendigos…

Anúncios