Um soneto antigo, feito com a intenção de prece. Sempre atual.

ROGATIVA III – 17/9/2015
Octavio Caúmo Serrano

Que eu fique mudo, se preciso for,
Caso eu decida divulgar a intriga;
Que minha boca feche e nunca diga
Um só impropério. Rogo-lhe Senhor!…

Espero ajuda, oh! Cristo Benfeitor,
Para não dar motivos a uma briga;
Que eu seja sempre uma pessoa amiga
Para quem sofre; não importa a dor!

E se eu tentar dizer alguma ofensa
Que eu fique mudo como recompensa,
Porque há de ser a minha salvação…

Mas para não ter de calar-me à força,
Eu rogo ao meu mentor para que torça
Que eu só cultive o bem no coração!