Nada a pedir. Tudo a agradecer. Obrigado, Senhor, por confiar em mim sabendo que eu procuraria ser merecedor dessa vida tão esplendorosa, como divulgador e testemunha de Sua Lei.
Já ganhei telefonemas, vídeos, zaps, mensagens e, provavelmente até algumas preces. Quem sabe, até algum desencarnado já tenha vindo me abraçar. Agradeço a todos pelo carinho. Vamos registrar num verso.

CHEGUEI AOS OITENTA E TRÊS! 13/11/2017
Octávio Caúmo Serrano

O século seguia: Era o vinte;
O ano, trinta e quatro; o mês, novembro…
Dia 13, um dia que relembro
Ano após ano, a espera do seguinte…

A cada vez surge um novo requinte!
Do ano que passou ainda me lembro,
Novos amigos, sempre um novo membro,
E eu da voz de Deus seguindo ouvinte…

O Pai me deu de prêmio vida longa…
E O louvo porque ela se prolonga,
Para que eu quite mais dos meus deveres…

Que eu sempre faça jus a tal benesse
E para agradecer, como que em prece,
Revelo aos meus irmãos os Seus Poderes.

Obrigado, Senhor!