You are currently browsing the monthly archive for agosto 2018.

18/08/2018
Octávio Caúmo Serrano

Orgulho e egoísmo são sementes
De tudo o que flagela a humanidade,
Porque só dão por frutos a maldade,
Com a perturbação das nossas mentes!

Para tratar de ações inconsequentes,
Os atos que anulam a leviandade
São o desprendimento e a humildade,
Antídotos que curam tais doentes!

São eles as raízes dos defeitos
Que faz com que pensemos nos direitos,
Mas sem levar em conta a obrigação;

São eles que nos põem sempre em primeiro,
Deixando tudo o mais por derradeiro,
Fazendo endurecer o coração!…

Anúncios

Que bom se pudéssemos ter um botão de volume e outro liga desliga para controlar a nossa mente!
19/08/18
Octávio Caumo Serrano

Por que é que não sossegas, oh cabeça?!
Por que pensar, pensar, com insistência
E sobrecarregar minha consciência,
Deixando que a preocupação mais cresça?

Por que, caso um problema me apareça,
Não trato deste assunto com paciência?
Pareço dominado por demência,
Que leva minha mente a que se aqueça.

Eu tenho de aprender a controlar
Os problemas que vêm me assediar
E para os quais não vejo solução…

Se tenho, como afirmo, tanta fé,
Preciso conservar-me de alma em pé
Mesmo que o corpo sofra de aflição!…

 

Fiz agora. Partilho com vocês.

Quando perguntaram ao Mestre Gandhi como ele reagia diante de uma ofensa ele respondeu: – Nunca me ofenderam.

INGRATIDÃO – 18/08/2018
Octávio Caumo Serrano

Se você faz o bem, não se preocupe;
A ingratidão faz parte do pacote,
Porém ninguém anula este seu dote,
Daí só com a bondade, então, se ocupe.

Se o outro não entende, não se culpe,
Nem fique perturbado e com fricote,
Assista à ingratidão de camarote,
E o pobre equivocado, então, desculpe!

O orgulho às vezes faz com que o favor
Ofenda aquele que é um perdedor
E é, por isso, um mal-agradecido…

Não deixe que o impeçam de ser bom,
Porque quem já fez jus a este dom
Jamais permitirá ser ofendido!

Augusto dos Anjos, poeta de Sapé-PB

Gosto muito do estilo parnasiano
Porque somente expressa a realidade;
Usando a poesia diz verdade,
Retratando bem claro o cotidiano!

Assim fez o Augusto, paraibano,
Poeta que com sua sobriedade,
Com palavras difíceis e ansiedade,
Descrevia sua mágoa neste plano…

Via um mundo onde tudo era malvado,
E o pintava com jeito revoltado
Em linguagem quase desconhecida;

Morreu moço, talvez por desconforto
De precisar viver querendo o aborto
De todas as agruras desta vida!…

 

12/08/2018 – dias do pais para mim mesmo. Aos quase 84 de idade tenho o direito a meditação diferente
Octávio Caumo Serrano

Como o velho é criança novamente,
Perde dentes, cabelos e juízo,
Por não ter mais afeto, é que é preciso
Ir ao doutor, mesmo sem estar doente!

Por isso eu consultei recentemente
Doutora pediatra. E com um sorriso,
Ela me disse, em tom doce e conciso:
– Só entendo de criança, infelizmente!…

– Estou no lugar certo, então doutora,
Porque sei que preciso da senhora
Para ser um senil forte e aguerrido…

Preciso um suplemento alimentar
E, porque não, quem queira me cuidar
Com ternura, como a um recém-nascido!

Neste caminho de volta,
nesta rota sinuosa,
temos de ter boa escolta
porque a estrada é perigosa!…

A imagem acima é um risco para pintura em óleo sobre tela, de Leonardo da Vinci.
Boletim Informativo "Tribuna Literária"
agosto 2018
S T Q Q S S D
« fev   out »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Leituras

  • 57.615 poetas

Entre com seu email para assinar este blog e receber notificações de novos artigos postados.

Junte-se a 31 outros seguidores

Anúncios